Sociedade Brasileira: Conflitos, Tensões e a Juventude

Temas Contemporâneos Transversais

Diversidade Cultural
Educação em Direitos humanos
Trabalho
Educação ambiental
Saúde
Educação Alimentar e Nutricional
Vida Familiar e Social
Direitos da Criança e do Adolescente
Ciência e Tecnologia
Educação para a valorização do multiculturalismo nas matrizes históricas e culturais Brasileiras

Competências Gerais

CONHECIMENTO

Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

PENSAMENTO CIENTÍFICO, CRÍTICO E CRIATIVO

Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

PROJETO DE VIDA E TRABALHO

Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

ARGUMENTAÇÃO

Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

EMPATIA E COOPERAÇÃO

Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação,fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.

AUTONOMIA E RESPONSABILIDADE

Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

SENSO ESTÉTICO

Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

AUTOCONHECIMENTO E AUTOCUIDADO

Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

COMUNICAÇÃO

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

Habilidades

De onde vem a fome?

Caminhos do Brasil rural
Análise: Campo x cidade?
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Análise: O espaço rural: interação entre a produção agrícola e indústria
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Uma história que vem de longe
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: O Império Português
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: Monumentos polêmicos
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: A pecuária e o mundo rural
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Período Imperial
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: A imigração europeia no século XIX
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: O jeca Tatu
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Período Republicano
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: A falta de trabalho no campo e a vida precária nas cidades
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
E hoje em dia?
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Análise: Os boias-frias
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
A luta pela terra
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Análise: Famílias em acampamentos
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Violência no campo
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Os sistemas agrícolas
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Análise: A produção no campo
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Atividades
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Espaço rural, meio ambiente e segurança alimentar
A importância do solo como recurso natural
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Problemas socioambientais
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Análise: Semiárido em perigo
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Propondo soluções, encontrando alternativas
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
Análise: Locais de maior pobleza no Brasil
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Fome, um problema ético
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Prática de pesquisa: Fome, um problema de todos nós
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Atividades
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.

Somos uma democracia?

A formação do Estado brasileiro: aspectos sociais e espaciais
A Corte portuguesa no Brasil: início do processo de emancipação política
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a estética como um importante território de negação ou afirmação negra;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
A singularidade da independência do Brasil
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a estética como um importante território de negação ou afirmação negra;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
Análise: "Não habia Brasil antes de 1808"
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Valorizar a estética como um importante território de negação ou afirmação negra;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
Análise: História e representação
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Estimular a reflexão e análise fecunda para que contribua com o desenvolvimento do estudante numa atitude crítica no que se refere à multiplicidade de ofertas tecnológicas;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura europeia na arte brasileira; contextualizar a produção artística europeia na cultura brasileira percebendo sua influência. Criar artisticamente a partir do contato com obras de arte europeias.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Perceber a influência da cultura europeia nas artes brasileiras em geral; contextualizar a produção artística europeia no processo de construção da identidade cultural brasileira; desenvolver a consciência e sensibilização corporal.
A instauração da república e a reconfiguração do Estado brasileiro
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Estimular a reflexão e análise fecunda para que contribua com o desenvolvimento do estudante numa atitude crítica no que se refere à multiplicidade de ofertas tecnológicas;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura europeia na arte brasileira; contextualizar a produção artística europeia na cultura brasileira percebendo sua influência. Criar artisticamente a partir do contato com obras de arte europeias.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Perceber a influência da cultura europeia nas artes brasileiras em geral; contextualizar a produção artística europeia no processo de construção da identidade cultural brasileira; desenvolver a consciência e sensibilização corporal.
Análise: Eleições presidenciais - 1930
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Estimular a reflexão e análise fecunda para que contribua com o desenvolvimento do estudante numa atitude crítica no que se refere à multiplicidade de ofertas tecnológicas;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura europeia na arte brasileira; contextualizar a produção artística europeia na cultura brasileira percebendo sua influência. Criar artisticamente a partir do contato com obras de arte europeias.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Perceber a influência da cultura europeia nas artes brasileiras em geral; contextualizar a produção artística europeia no processo de construção da identidade cultural brasileira; desenvolver a consciência e sensibilização corporal.
Atividades
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Estimular a reflexão e análise fecunda para que contribua com o desenvolvimento do estudante numa atitude crítica no que se refere à multiplicidade de ofertas tecnológicas;
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura europeia na arte brasileira; contextualizar a produção artística europeia na cultura brasileira percebendo sua influência. Criar artisticamente a partir do contato com obras de arte europeias.
- Apreciar e conhecer as matrizes que formaram o povo brasileiro; perceber a influência indígena em nossos hábitos e costumes cotidianos; produzir artisticamente elementos da matriz indígena.
- Perceber a influência da cultura europeia nas artes brasileiras em geral; contextualizar a produção artística europeia no processo de construção da identidade cultural brasileira; desenvolver a consciência e sensibilização corporal.
O Estado Brasileiro: dimensões sociopolíticas
O culto ao Estado forte
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
O Estado novo
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Análise: O populismo getulista
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
O governo de Juscelino Kubitscheck
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Análise: Mordenização conservadora
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Análise: A construção da capital do Brasil
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
De Juscelino a Jango
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar, produzir, aplicar e avaliar recursos didáticos e tecnológicos para apoiar o processo de ensinar e aprender;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Ditadura e democracia
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Modelo de desenvolvimento, juventude, repressão e resistências
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
O caminho para a redemocratização
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Prática de pesquisa: Futebol e política em tempos de autoritarismo
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.
Atividades
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Agregar atratividade em suas pautas formativas de forma que haja envolvimento e interesse dos estudantes na busca por conhecimento;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Pesquisar fatos e circunstâncias relevantes para o desenvolvimento socioeconômico do município / estado a fim de fomentar a produção escrita com dados.

Um mundo melhor é possível?

Conflitos entre desenvolvimento e preservação
A questão ambiental em diferentes tempos e espaços
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Aplicar e reconhecer os conhecimentos relativos à variação linguística da região fluminense e às diferenças entre oralidade e escrita na produção de textos.
Análise: Respeito à natureza
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Aplicar e reconhecer os conhecimentos relativos à variação linguística da região fluminense e às diferenças entre oralidade e escrita na produção de textos.
A emergência da questão ambiental
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Análise: Preservar e compreender
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
O buraco na camada de ozônio
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Análise: A volta do CFC?
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Análise: Matrizes elétricas
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Articulação internacional para o enfrentamento da questão ambiental
- Promover a educação integral como concepção e como processo pedagógico visando à formação humana em suas múltiplas dimensões;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Desenvolver nos alunos o pensamento matemático, para que possam transformá-lo em conhecimento;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
Biomas originais ameaçados
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Estimular o desenvolvimento de competências que favoreçam e integrem os saberes, de atribuição de sentido e significado à aprendizagem e de um novo tipo de relação estabelecido entre o estudante e o conhecimento, com sua vida em sociedade e com seu futuro;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Atividades
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Incorporar abordagens de temas contemporâneos que afetam a vida humana em escala local, regional e global, preferencialmente de forma transversal e integradora;
- Estimular o desenvolvimento de competências que favoreçam e integrem os saberes, de atribuição de sentido e significado à aprendizagem e de um novo tipo de relação estabelecido entre o estudante e o conhecimento, com sua vida em sociedade e com seu futuro;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Discutir sobre o uso responsável e ético dos meios de comunicação na função de difundir informações, inclusive nas redes sociais.
Violência, juventude e sociedade brasileira
Análise: Declaração Universal dos Direitos Humanos
- Reconhecer que os sujeitos se constituem a partir de sua integralidade afetiva, cognitiva, física, social, histórica, ética, estética, que, pela complexidade das relações que se estabelecem entre todos os elementos que coabitam a Terra, dialoga amplamente com as dimensões ambientais e planetárias, em um novo desenho das relações humanas e sociais;
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Fomentar nos alunos a capacidade de compreender e interpretar o mundo nos quesitos natural, social e tecnológico, contribuindo para a formação de cidadãos conscientes;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
Violência e ação do Estado
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
Análise: Violência contra jovens
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
A sociedade brasileira no início do século XXI e suas contradições
- Considerar os jovens em sua plenitude e diversidade, situando-os no centro do processo educativo e transformar a escola, independentemente da duração da jornada escolar, para o desenvolvimento das competências gerais com intencionalidade e evidência, para que se conheçam e se autodeterminação;
- Contextualizar os conteúdos dos componentes curriculares, identificando estratégias para apresentá-los, representá-los, exemplificá-los, conectá-los e torná-los significativos, com base na realidade do lugar e d’o tempo nos quais as aprendizagens estão situadas;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos estudantes;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Garantir o cumprimento dos direitos do sujeito que perpassam todas as etapas de ensino e que sejam considerados princípios éticos, políticos, estéticos, cujas práticas pedagógicas norteadas por estes princípios, oportunizem à escola, a formação de sujeitos éticos, íntegros e comprometidos com o bem comum;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Estimular a formação ética dos estudantes para a construção de uma sociedade mais justa; Desenvolver nos alunos a autonomia, para que sejam capazes de compreender e refletir sobre os pensamentos históricos e geográficos;
Análise: "Falta ao poder temer o povo"
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Estimular o desenvolvimento de competências que favoreçam e integrem os saberes, de atribuição de sentido e significado à aprendizagem e de um novo tipo de relação estabelecido entre o estudante e o conhecimento, com sua vida em sociedade e com seu futuro;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
Prática de pesquisa: Unidade de Conservação
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Estimular o desenvolvimento de competências que favoreçam e integrem os saberes, de atribuição de sentido e significado à aprendizagem e de um novo tipo de relação estabelecido entre o estudante e o conhecimento, com sua vida em sociedade e com seu futuro;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
Atividades
- Decidir sobre formas de organização interdisciplinar dos componentes curriculares e fortalecer a competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da aprendizagem;
- Selecionar e aplicar metodologias e estratégias didático-pedagógicas diversificadas, recorrendo a ritmos diferenciados e a conteúdos complementares, se necessário, para trabalhar com as necessidades de diferentes grupos de estudantes, suas famílias e cultura de origem, suas comunidades, seus grupos de socialização, etc.;
- Conceber e pôr em prática situações e procedimentos para motivar e engajar os estudantes nas aprendizagens;
- Promover medidas de conscientização, de prevenção e de combate a todos os tipos de violência e a promoção da cultura de paz nos estabelecimentos de ensino (Lei no 13.663, de 14 de maio de 2018);
- Estimular o desenvolvimento de competências que favoreçam e integrem os saberes, de atribuição de sentido e significado à aprendizagem e de um novo tipo de relação estabelecido entre o estudante e o conhecimento, com sua vida em sociedade e com seu futuro;
- Valorizar a diversidade para a construção de uma nação democrática, na medida em que combate os preconceitos e promove a equidade;
- Trazer para o debate questões sobre racismo nos permite combatê-lo e trazer à tona, reflexões sobre tensões, igualdade, desigualdades, discriminação, diferenças e privilégios;
- Possibilitar que o respeito a Diversidade, na perspectiva daqueles que estão em situação de vulnerabilidade e ou exclusão;
- Trabalhar com as relações de gênero nas relações étnico-raciais, como o feminismo negro;
- A valorização de valores civilizatórios afro-indígenas como a oralidade e a circularidade, bem como as demais culturas locais e a Formação Continuada de professores (as) em Educação para as Relações Étnico-Raciais;
- Considerar a importância da diversidade no sentido da inclusão, do respeito às diferenças, da construção da cidadania, da compreensão da realidade e da luta contra qualquer tipo de preconceito;
- Permitir ao aluno ampliar suas capacidades expressivas, através do trabalho com as manifestações corporais, artísticas e linguísticas;
- Despertar nos estudantes um sentido de responsabilidade que valorize os direitos humanos; respeito ao ambiente; coletividade; fortalecimento de valores sociais (solidariedade, bem comum e desigualdades);
- Apreciar e reconhecer a influência da cultura africana na arte brasileira; contextualizar a produção artística africana no processo de construção da identidade cultural brasileira percebendo sua influência em nossos hábitos e costumes cotidianos; analisar o valor simbólico da arte africana; criar artisticamente elementos visuais inspirados na arte africana.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.
- Identificar a presença da arte africana e sua importância na vida cultural de nosso país; analisar o valor simbólico e sociocultural da arte africana; criar artisticamente elementos corporais.